Notícias

Aprenda a fazer o seu próprio Planner

| Notícias, Publicações

Aprenda a fazer o seu próprio Planner

 

Você sabe o que é e para que serve um planner? Trata-se de uma excelente forma de manter o foco e organizar tarefas do seu cotidiano, sejam elas frutos de compromissos profissionais ou questões mais íntimas. E, apesar de muita gente achar que para montar um planner é necessário fazer uso de cadernos altamente personalizados, o passo a passo pode ser bem simples, com apenas uma folha de papel.

Para te ajudar a soltar a criatividade e planejar as metas para o ano novo ou para um momento especial – como organizar um casamento ou a viagem dos sonhos –, montamos um breve tutorial de como fazer um planner. Veja dicas para inspirar desde o processo de escolha do suporte ideal, passando pela padronização de fontes e indo até a organização diária dos seus deveres.

Escolha o tipo de folha ou caderno para seu planner – Para começar, você vai precisar decidir onde escrever as suas anotações. Apesar de ser comum o uso de cadernos para períodos mais longos, como semestrais ou anuais, é possível utilizar folhas de papel A5 ou A4 para fazer um planner semanal ou mensal e colar num mural. Se optar por um caderno, escolha o melhor tipo de folha (pautado, pontilhado ou sem pauta) e se ele é de brochura, argolado ou inteligente (uma espécie de fichário). Essa escolha deve ser feita de acordo com a sua preferência – cadernos sem pauta são ótimos para quem gosta de criar desenhos e anotações livres, já os com pauta quadriculadas ajudam a quem busca padronização de formas e tamanhos, por exemplo.

Personalize a capa do planner como preferir – Quem decidiu usar um caderno pode deixar a imaginação fluir para montar uma capa personalizada. Geralmente, cadernos que já vêm com capas bacanas ou temáticas são mais caros. Mas, para economizar, você pode comprar um “basicão” e investir em materiais como papel cartão, adesivos e post-its para deixar tudo com a sua cara.

Padronize as fontes, cores e ícones do seu planner – Antes de começar a anotar suas tarefas, é importante padronizar que fonte, cores e ícones você vai utilizar no seu planner. Esse processo é fundamental para que as informações fiquem organizadas de forma clara e intuitiva (desse modo, não será preciso esforço ao longo do dia para entender o que ainda está por vir). Os mais criativos podem optar por desenhos próprios. Buscar inspiração em redes sociais como Pinterest e Instagram costuma a ajudar a dar o primeiro passo. Caso prefira algo mais minimalista, basta definir como será a fonte utilizada (você pode escrever à mão, com letra cursiva ou de forma, ou imprimir títulos e subtítulos escritos no computador).

Planeje e divida as seções iniciais do seu planner – Agora que já decidiu os padrões gráficos para o seu planner, chegou a hora de pensar nas seções de conteúdo. Muita gente costuma colocar no início, antes do planejamento diários, algumas áreas especiais para anotar tarefas, compromissos e desejos mais atemporais. Alguns exemplos são: listas de livros para ler, filmes legais que irão estrear no cinema, shows que gostaria de assistir e lugares para visitar nas férias.

Monte a agenda do seu planner – Agora que as seções iniciais foram criadas, chegou a hora de organizar os seus dias nas folhas do planner. Se você optou por caderno, uma dica é dividir uma folha em sete dias. Desse modo, cada semana fica contida em uma mesma área e é mais fácil visualizar todos os seus compromissos. Em folhas de A4 ou A5, você pode colocar uma semana inteira e até mesmo um mês. Caso não queira fazer tudo à mão, monte uma planilha (no Excel ou em editores online, como o Canva) com os dias estipulados e imprima.

Programe uma hora no dia para anotar a sua rotina no planner – Tudo pronto, agora é só usar! Mas tenha atenção: é importante ter disciplina para anotar sempre os compromissos que aparecem na sua rotina. Procure deixar uma hora no fim do dia para anotar tudo o que precisa fazer no dia seguinte. Você também pode fazer isso no final de semana, programando os sete dias que estão por vir. Caso algo surja no meio de um dia de trabalho ou estudo, vale uma anotação tardia no final dele (ou no dia seguinte). Assim, além de criar o hábito de escrever, você poderá revisitar seu planner caso precise lembrar a data em que terminou determinada tarefa, por exemplo.

 

Fonte:Seleções

Businessman working at his office with documents and check the accuracy of information.

PREVIC aprova alterações no Regulamento do Plano Multifuturo II

A Superintendência Nacional da Previdência Complementar (PREVIC), órgão regulador e fiscalizador das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, aprovou em 12 de janeiro de 2021 o novo regulamento do Plano Multifuturo II (MFII) – com publicação no Diário Oficial da União. O novo documento já está em vigor desde 15...

+ LEIA MAIS