Notícias

Como criar bons hábitos financeiros

| Notícias, Publicações

Family couple saving money

Guardar dinheiro não é uma tarefa fácil. Muitas pessoas não poupam porque simplesmente não existe margem no orçamento para isso. Já outras até poderiam, mas não conseguem se planejar – afinal, até mesmo o cérebro pode estar sabotando essa missão.

De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 49% dos entrevistados disseram que a principal meta para 2020 é juntar dinheiro – mas apenas 17% conseguiu fazer uma reserva em 2019. Uma forma de mudar essa realidade é criar bons hábitos financeiros – ou seja, mudar a forma como pensamos e lidamos com o dinheiro até que isso vire parte da rotina. Veja como abaixo.

1- Tenha clareza de seu objetivo

Um dos primeiros passos para criar bons hábitos financeiros é ter um objetivo claro para o seu dinheiro. Pode parecer algo pequeno ou irrelevante, mas isso é essencial para mudar a forma como nos relacionamos com as finanças. Existem muitas razões para as pessoas guardarem dinheiro, mas é preciso encontrar aquela que te motiva a poupar – e ter clareza sobre por que isso é importante para você.

2- Comece pequeno – e seja SMART

Um erro comum de pessoas que querem criar um novo hábito é começar com objetivos ambiciosos demais. Por exemplo, alguém que nunca conseguiu guardar dinheiro e, de repente, se propõe a poupar 30% do próprio salário. É um salto tão grande que o efeito pode ser justamente o contrário do esperado.

Em vez de se sentir motivada a guardar, a pessoa pode se frustrar por não conseguir juntar a quantia desejada e acabar abandonando a meta. Por isso, comece pequeno. Se você não tem o hábito de poupar, pode ser uma boa opção começar guardando 10% do seu salário todos os meses – ou até menos. O importante é que seja uma meta desafiadora, mas factível – e SMART:

S de specific (específica);

M de measurable ( mensurável);

A de attainable ( atingível);

R de relevant (relevante);

T de time based (prazo).

3- Estabeleça uma rotina

Se o objetivo é tornar o ato de guardar dinheiro um hábito, é importante incluir isso na rotina até que seja algo automático. Uma boa forma de fazer isso é colocar um lembrete no celular no dia em que o salário cai na conta. Se o objetivo é viajar, por exemplo, o alarme pode ser “Guardar dinheiro para viajar”. Assim, fica mais fácil lembrar por que você está guardando – e fazer isso assim que o dinheiro entra na conta.

4- Recompense o bom comportamento

Segundo Charles Duhigg, autor do livro “O poder do hábito”, todo hábito tem três componentes:

Uma deixa: alguma ação ou comportamento interno ou externo que ativa o comportamento – também chamado de gatilho;

Uma rotina: o hábito em si, a ação (boa ou ruim) que compõe aquele comportamento;

Uma recompensa: depois da ação, o cérebro recebe uma “recompensa” pelo feito, o que torna o hábito prazeroso – por mais desafiador que seja.

Por isso, uma forma de desenvolver um hábito financeiro – ou qualquer outro – é encontrar formas de recompensar suas ações. Não precisa ser uma recompensa financeira, mas algo que traga um sentimento de prazer e bem estar – como assistir a uma série ou jogar um jogo. Ou seja, na próxima vez que você guardar dinheiro, se dê uma recompensa.

5- Mantenha seu compromisso pelo maior tempo possível

Segundo um estudo da pesquisadora da University College London Phillippa Lally, o tempo para que uma ação se torne automática varia de pessoa para pessoa – mas, na média, leva mais de dois meses. Para um hábito ser formado, então, pode demorar de 18 a 254 dias.

Em outras palavras, se você deseja criar um hábito financeiro, é importante cultivar esse compromisso pelo maior tempo possível. O estudo também mostrou que “falhar” vez ou outra na construção do hábito não afeta o processo todo. Por isso, encare essa jornada como um processo – não uma tarefa a ser cumprida em determinados período.

Fonte: Nubank

Businessman working at his office with documents and check the accuracy of information.

PREVIC aprova alterações no Regulamento do Plano Multifuturo II

A Superintendência Nacional da Previdência Complementar (PREVIC), órgão regulador e fiscalizador das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, aprovou em 12 de janeiro de 2021 o novo regulamento do Plano Multifuturo II (MFII) – com publicação no Diário Oficial da União. O novo documento já está em vigor desde 15...

+ LEIA MAIS