Notícias

A importância de ter um pet em casa

| Notícias, Publicações

A importância de ter um pet em casa

 

Ambiente mais alegre, aumento da prática de atividades físicas, alívio de estresse, etc. Quem tem um pet em casa já deve ter identificado pelo menos um desses benefícios. Por isso, muitas pessoas já estão percebendo os prazeres de ter um bichinho. A convivência com animais tem várias vantagens, como o auxílio no desenvolvimento e na socialização de crianças e a companhia durante a terceira idade. Saiba mais sobre os benefícios que os pets trazem à saúde humana:

Socialização - Além de os animais de estimação serem um “tema” sobre o qual as pessoas adoram conversar, os bichinhos precisam sair de casa e fazer passeios para ter melhor qualidade de vida. Logo, eles estimulam seus donos a frequentarem parques e outros ambientes que favorecem a interação social. Se você é dono de pet, confesse: durante um passeio com o seu amigo de quatro patas, você já parou para conversar com outra pessoa que também caminhava com o seu bichinho, não é mesmo?

Diminuição da solidão - Se você não quer ficar sozinho, um cãozinho ou um gatinho é a companhia ideal. Eles são parceiros para todas as horas e estão sempre de prontidão para dar e receber carinho.

Combate à depressão – As trocas de carinho, compreensão, apoio e segurança entre você e seu bichinho favorecem o aumento da autoestima e do senso de valor próprio, o estabelecimento de hábitos positivos e o interesse pelo outro. Ou seja, essa relação é um recurso excelente para afastar a depressão!

“Produtores” de felicidade - Estudos indicaram que a troca de afetividade entre humanos e animais aumenta a produção de serotonina e dopamina nas pessoas, substâncias do corpo responsáveis pela sensação de prazer e alegria.

Alívio do estresse - Teve um dia estressante? Vá brincar com o seu bichinho. Diversos estudos indicam que a interação entre homem e animal traz uma sensação de bem-estar e conforto. Com isso, no corpo humano, há a diminuição dos níveis de cortisol, um hormônio relacionado ao estado de alerta e que também é conhecido como o “hormônio do estresse”. Em níveis elevados na corrente sanguínea, ele causa diversos problemas à saúde.

Redução da pressão arterial - Não é só remédio que abaixa a pressão alta. A interação com o pet também reduz os níveis de adrenalina – relacionados ao aumento da pressão arterial – e libera a produção de acetilcolina. Esse neurotransmissor está envolvido no estado de tranquilidade, na diminuição de pressão arterial, frequência cardíaca e frequência respiratória, além de desempenhar um importante papel nas funções cognitivas, como a aprendizagem.

Incentivo à prática de atividades físicas - Diga tchau para o sedentarismo: ter um animal de estimação, especialmente um cãozinho, obriga até o mais ferrenho sedentário a sair de casa para um passeio. Tal “exercício” pode ser o primeiro passo em direção a uma rotina de atividades físicas regulares.

Senso de responsabilidade - Ter um animal envolve uma série de cuidados, como alimentação, manutenção da higiene, banho e passeios. Assumir tais compromissos envolve responsabilidade da parte do dono. Assim, ter um pet pode ser uma ótima lição de compromisso para as crianças, por exemplo.

União familiar - Se você é aquela pessoa que fica esperando alguém chegar em casa para contar uma façanha do pet, saiba que você não está sozinho. Uma pesquisa realizada na França aponta que ter animais de estimação facilita a comunicação entre os membros da família. O levantamento revelou que 76% dos entrevistados admitiram bater mais papo entre eles depois que o animal de estimação chegou ao lar.

Além disso, quando o animal é parte de uma família, é comum que aconteça uma divisão de tarefas entre as pessoas da casa. Realizar algumas obrigações em conjunto pode ser uma boa oportunidade para fortalecer as relações familiares.

 

Fonte: Granvitapet

Businessman working at his office with documents and check the accuracy of information.

PREVIC aprova alterações no Regulamento do Plano Multifuturo II

A Superintendência Nacional da Previdência Complementar (PREVIC), órgão regulador e fiscalizador das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, aprovou em 12 de janeiro de 2021 o novo regulamento do Plano Multifuturo II (MFII) – com publicação no Diário Oficial da União. O novo documento já está em vigor desde 15...

+ LEIA MAIS